Métodos de execução

- ENFORCAMENTO

É o mais antigo método de execução para criminosos. O criminoso é levado à subir num suporte sobre uma plataforma. Uma corda especial com um nó corrido é colocada em volta de seu pescoço. O suporte sob os pés do criminoso é retirado, provocando sua queda, e seu pescoço é quebrado, levando-o à morte instantânea.

O método de enforcamento originou-se na Pérsia, de onde foi trazido para a Inglaterra. Nos EUA, ainda é uma forma de execução utilizada em Montana, New Hampshire e Washington.

- CADEIRA ELÉTRICA

Esta forma de execução tem sido utilizada apenas nos EUA e foi introduzida em 1890. O prisioneiro é amarrado numa cadeira com firmeza, e um "capacete da morte", contendo eletrodos que irão executá-lo, é colocado em sua cabeça previamente raspada. Entre o capacete e a pele é colocada uma esponja molhada com solução salina, para condução melhor da eletricidade e a prevenção de queimaduras.

Outro eletrodo é atado ao tornozelo do criminoso, e o executor solta uma descarga elétrica de 2250 volts. A descarga elétrica atravessa o corpo do condenado de cima a baixo. Fica ligada por 3 segundos e é repetida mais 4 vezes no espaço de dois minutos.

Vista interna da câmara de gás - Prisão Estadual de San Quentin

- CÂMARA DE GÁS

Também foi primeiramente utilizada nos EUA, no Estado de Nevada, em 1921. O condenado é levado para dentro da câmara, sentado numa cadeira e tem seus braços e pernas amarrados. Depois que a câmara é selada, cianeto é jogado dentro de um balde com água, produzindo um gás mortal. Se o prisioneiro quizer morrer mais rápido, ele pode fazer profundas inspirações para perder a consciência mais rapidamente.

Em dois minutos ou menos de inalação do gás cianídrico, a morte é certa. Um médico, de fora da câmara, monitora o executado com um estetoscópio especial e pronuncia sua morte. Depois, a câmara de gás é borrifada com amônia para destruir qualquer resquício do gás letal. Ainda é utilizada em 5 estados americanos.

Vista interna da Câmara de Execução por injeção letal - Prisão Estadual se San Quentin

- INJEÇÃO LETAL

O criminoso é amarrado em uma maca especial, e um soro colocado em suas veias. A identidade dos executores sempre é mantida em sigilo, e é um trabalho voluntário.

Uma vez iniciado o processo de execução por injeção letal, todas as testemunhas da execução, através de uma janela, observaram a dose de "sódium pentathol", um anestésico, ser ministrada em sua veia, automaticamente. Esta droga faz o condenado dormir pela última vez.

Em seguida, o "pancuronium bromide" começa a ser injetado, para que seu aparelho respiratório seja paralisado. Na seqüência, entra automaticamente em suas veias o cloreto de potássio, para parar seu coração. O processo todo não deve demorar mais que 5 minutos...

Gary Gilmore e sua cadeira de execução (Corbis©)

- PELOTÃO DE FUZILAMENTO

Este método de execução dispensa maiores explicações, e só é utilizado em dois estados americanos: Idaho e Utah. O último condenado executado por fuzilamento nos EUA foi Gary Gilmore, em 1977, que escolheu esta forma de morrer, recusando-se a apelar e passar a vida no corredor da morte. Ele mesmo exigiu sua execução. Foi amarrado à uma cadeira e vendado. Apenas uma das armas dos executores está carregada com festim, mas nenhum dos oficiais sabe qual delas. Assim, mais tarde, nenhum deles se sentirá culpado por executar alguém, uma vez que não se sabe de qual arma as balas verdadeiras saíram.

Querem saber mais sobre serial killers acesse o site da Ilana Casoy que tambem é a fonte da postagem.

Share on Google Plus

About Neto Sanches

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

3 Comentários:

  1. "A identidade dos executores sempre é mantida em sigilo, e é um trabalho voluntário."

    Eu me ofereceria para o trabalho...

    ResponderExcluir