Novas pistas para a misteriosa molécula espacial de 90 anos

 

Estranhas moléculas espaciais que absorvem luz de estrelas distantes foram detectadas em nossa galáxia, dando aos cientistas esperança de resolver um mistério quase centenário da constituição das moléculas.
A descoberta talvez ajude a revelar como esses enigmáticos componentes foram criados, conhecimento que, para os pesquisadores, pode revelar segredos da química interestelar e possivelmente da origem da vida.
A luz de qualquer objeto pode ser imaginada pela sua combinação, ou espectro, de cor. O espectro de uma estrela pode revelar bastante sobre sua composição, como a cor de uma fruta ajuda a identificá-la e dizer se está madura.
O espectro de cor que vemos de uma estrela é afetado pelo gás e poeira entre ela e nós. Cientista identificaram alguns materiais que absorvem cor, mas o principal culpado por trás da absorção, conhecido como “faixa interestelar difusa”, tem intrigado pesquisadores por 90 anos.
Descobrir o que causa essas faixas poderia ajudar a revelar a química que ocorre no espaço.
 
“Há um bom entendimento geral da química que produz simples moléculas como a água, monóxido de carbono e amônia no espaço interestelar. Porém, nosso conhecimento da química mais complexa que produz moléculas grandes é muito menos seguro – em grande parte porque nós não possuímos identificações específicas para essas moléculas”, afirmam pesquisadores.
Um melhor conhecimento da química interestelar talvez ajude a entender como a vida evoluiu na Terra. Alguns cientistas pensam que os complexos químicos que são a chave da vida na Terra vieram do espaço e fertilizaram o planeta.
Até agora, todas as faixas difusas interestelares foram encontradas em ondas visíveis e muito perto do infravermelho. Além disso, nenhuma foi detectada na direção do núcleo da Via Láctea.
Enquanto investigavam o espectro de estrelas quentes no centro da galáxia, os pesquisadores encontraram inesperadamente essas características na luz da estrela, em ondas de infravermelho.
Esses novos detalhes podem ajudar a identificar as moléculas. O fato de que estão no centro da galáxia, onde o ambiente é mais duro, também sugere que esses componentes são relativamente fortes, outra pista do que eles podem ser.
“A maioria dos especialistas nesse campo pensa que elas devem ser grandes moléculas formadas principalmente por carbono”, dizem os cientistas. “Elas provavelmente são criadas em nuvens interestelares, onde são encontradas, ou material solto de gigantes vermelhos, por reações químicas no gás interestelar ou nos ventos vermelhos gigantes”.
Se as moléculas que produzem faixas difusas são de fato grandes e formadas por carbono, elas poderiam estar relacionadas com outras moléculas importantes para a vida, como aminoácidos.
Os pesquisadores esperam investigar essas moléculas futuramente, como uma ferramenta para o entendimento do ambiente interestelar.
Share on Google Plus

About Treviz

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 Comentários:

Postar um comentário